Arquivo mensais:janeiro 2013

Um blog sobre gestão

Há alguns anos, tenho estudado e experimentado diferentes formas de se fazer gestão. Quando iniciei a Webgoal junto com os meus sócios, nossa maior vontade era criar uma empresa diferente em relação ao desenvolvimento de software e a gestão de projetos. Sendo assim, passamos a utilizar métodos ágeis em todas as nossas atividades, conseguindo ótimos resultados e mudando nossa compreensão sobre o trabalho. A partir disso, comecei a perceber que a mudança deveria ser muito maior, alcançando também a maneira de fazer a gestão do nosso negócio como um todo.

management-1

Tarsila do Amaral – Operários

Olhando para trás, podemos notar que as idéias da administração científica de Taylor ainda predominam na maioria das empresas. As pessoas são dividas em dois grupos: as pessoas que pensam sobre o que a empresa deveria fazer e as pessoas que são responsáveis por executarem o trabalho que foi pensado pelo primeiro grupo. Temos a divisão funcional da empresa em cargos e departamentos, incentivando a especialização profissional das pessoas. Para completar, hierarquia subsidiada por comando e controle mantendo o poder nas mãos de poucas pessoas dentro da organização. Podemos chamar essa abordagem de Gestão 1.0.

management-2

Quadrinhos dos anos 10 – Malvados.com.br

Cerca de 50 anos após Taylor propor essa abordagem de gestão, as empresas não-industriais que adotaram esse modelo começaram a sentir seus efeitos colaterais. O contexto mudou, os mercados tornaram-se mais dinâmicos e a quantidade de informação aumentou. A competição não era mais só pela eficiência, mas também pela diferenciação em produtos e serviços. A partir de então, foram criados métodos e ferramentas para tratarem os inúmeros sintomas de não considerar as pessoas como parte importante de um negócio: balanced scorecard, six sigma, theory of constraints, total quality management, PMBOK, etc. Apesar de alcançar bons resultados, a essência da gestão não mudou. Essa é a Gestão 2.0.

Hoje vivemos num mundo muito mais complexo, com muita informação sendo gerada e consumida a cada segundo através da internet. O mercado mudou junto com o surgimento de novos tipos de empresa. A aquisição e aplicação de conhecimento tornou-se a base de qualquer negócio. Já não é possível separar o pensar do fazer nas atividades que realizamos no dia-a-dia. A gestão das máquinas deu lugar à gestão das pessoas.

O comando e controle tornou-se um câncer para as empresas e deve ser substituído pela colaboração e autonomia. Estruturas hierárquicas estão dando lugar a estruturas em rede, com o poder diluído entre todas as pessoas da empresa. A inovação passou a ser uma condição básica para a sobrevivência das empresas. A realização e felicidade das pessoas são tão importantes quanto a rentabilidade de um negócio. O lucro passa a ser visto como uma conseqüência e não mais como o objetivo final de uma empresa. É nesse contexto que surge a Gestão 3.0.

management-3

Jurgen Appelo – The Five Cogs of Innovation

Conseguir enxergar além da gestão tradicional deve fazer parte dos objetivos de qualquer empresa. Adequar a forma de trabalho à realidade atual do mundo e superar paradigmas centenários sobre gestão empresarial nem sempre é fácil para uma organização. Entretanto, existem autores como Jurgen Appelo, Niels Pflaeging, Daniel Pink, Steve Denning e outros que estudam sobre o assunto e apontam alguns caminhos que podem ser seguidos. Empresas como Toyota, Semco, Google, Morning Star, Zappos, Handelsbanken, Webgoal, Bluesoft, Lambda3, Chaordic e tantas outras, provaram que é possível.

Especificamente, esse blog tem como objetivo compartilhar algumas ideias que tenho sobre como a gestão pode ser diferente da gestão tradicional. Quero apresentar técnicas, práticas e ferramentas para mostrar para outras pessoas e empresas maneiras de colocar em ação esses conceitos inovadores de gestão, compartilhando minhas experiências na Webgoal e discutindo os principais conceitos sobre agilidade, sistemas complexos, management 3.0, beyond budgeting, entre outros.